Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a mãe dos PP's

A todas as prenhas

aqui da blogosfera!

Hoje o meu post é para vós! Sendo experiente no antes e depois da maternidade, sinto me no dever de vos pôr a par de tudo o que virá nesta vossa tão dificíl jornada. Ás pessoas sensíveis advirto: Não leiam este post!

Não se iludam nos três dias que estiverem na matenidade. Não! O bebé em casa vai-se escocinhar, não vai deixar dormir, vai querer mamar no meio do supermercado, vai cagar nas horas mais ingratas. Nos dias em que estiverem na maternidade, sejam pacientes com as enfermeiras que vos apertarem os bicos das mamas para verem se já há leitinho ou não. Os bicos das mamas vão rachar e sangrar, vão ter que andar com disos no sutien para que o leite não vase e vão sentir muitas vezes que menstruam pelas mamas. Os meus filhos preferiam uma das mamas.

Se alguém vos disse que o cocó dos bebés não cheira mal, é mentira. Cheira mal, mesmo, afinal é merda. Coloquem bem as fraldas nos bebés, porque vai acontecer que o cocó lhe suba pelas costas e saia ao pescoço, pelo menos nos primeiros seis meses. Após esta fase, vão intruduzir a alimentação e haverá sopa no teto branquinho que pintaram pelo verão. Vão preferir comer bananas do que maçã ou pêras. Vão chorar de desespero, mas não se matem, é mesmo assim. O vosso cheiro natural será a bolsadelas secas no ombro e o vosso adorno uma fraldinha de pano. As crianças não sabem chorar, elas berram! Berram muito e alto até ficarem roxas ou vermelhas. As vossas mães e as vossas sogras e cunhadas vão mandar bitaites e vocês serão fortes para não as ofender, ponham uma vassoura atrás da porta!

Para sair de casa vão precisar de duas horas e levarão convosco meio quarto dos bebés, enquanto rezam para que não haja merda no ovinho que os transporta para todo o lado. Vão desesperar á primeira febre, vão se assustar com o primeiro espirro, os bebés vão dizer gugudadá e vocês vão achar que ele disse:"amo te mãezinha". Tretas. Não há mães perfeitas, se alguém opinar sobre a forma como fazem as coisas, mandem tudo se f*der. Ninguém é melhor mãe dos nossos filhos do que nós.

Vão estar cerca de quarenta dias após o parto a seco, isto é, sem sexo e quando iniciarem a vida sexual vão ter medo...ui ui... muito medinho, afinal e se forem cozidas serão virgens outra vez! Não é fantástico?

O sexo vai piorar. Não vão ter vontade de o fazer. Vai ser um comer para não morrer de fominha. As mamas doem, as hormonas demoram pelo menos um ano a normalizar e vão ter vontade de arrancar a piça aos maridos por uns tempinhos. Cortem ás rodelas e sirvam na salada.

Não voltarão a ter a vida de antes. Agora só contam as crianças. Porém, vão valorizar uma queca como quem bebe água no deserto.

Estou a ser dura até aqui?

Não voltarão a mijar nem a cagar sózinhas, terão que levar os bebés convosco. Vão tomar banho em meio minuto e esquecerm-se de se pentear. A quem se maquilha...esqueçam lá isso .

Vão ficar com uma barriguinha tipo gelatina, aconselho cinta pós parto. Vai tudo ao sítio. Vão chorar nas vacinas, há uma vacina contra as caganeiras que depois terão que ter cuidado par não apanherem uma, por ser uma vacina viva. Uma vez apanhei uma caganeira à conta disso e andei de carrinho toda a noite. Fiquei à rasca do cú.

A casa não voltarám a ter a mesma arrumação e as visitas vão aparecer nas horas em que tudo estiver de pantanas.

Com isto me vou e desejo a toda vós uma boa maternidade. Fuck it all!

 

Fui á cabeleireira

e quase tive um orgasmo enquanto ela me lavava a cabeça.

Pronto. Este podia ser o meu post de hoje.Mas não.

Fui á cabeleireira e enquanto estava em frente do espelho, apercebi-me há quanto tempo eu não me olhava realmente ao espelho. Os dias são corridos, as tarefas são inúmeras e diversas, e a maternidade absorve-me tanto que acho que em muito tempo, só ontem, olhei para mim com olhos de ver. Tive saudades minhas, reparei que tenho meia de dúzia de cabelos brancos e ainda estou a uma distância bem considerável dos quarenta anos. Trago olheiras de cansaço e os olhos traduzem as minhas preocupações diárias com os meus dois fedelhos. Ando demasiado tensa e preocupada. 

Naquele momento, a sós comigo sentia aquela sensação agradavel de tranquilidade. Deixei os pequenos com o pai e isso descansava me. No entanto, mais que uma hora sem meter os meus olhos em cima deles dá cabo de mim. É como andar de carro sózinha, sabendo que estou sózinha vou constantemente a olhar para trás. Hábitos, rotinas, família.

Olhei-me no espelho e gostei do que vi e ainda que consciente de que ando em falta para comigo...se eu fosse gajo..."comia-me" 

 

Mãe coragem?

Estava a ver televisão e reparei que chamaram mãe coragem a uma rapariga que entrou no desafio final da casa dos segredos.

Pus-me a pensar(): mãe coragem... o que é ser mãe coragem e porque merda chamam a esta mulher de mãe coragem?

Pensai comigo:

Creio que, mãe coragem somos todas a partir do momento em decidimos dar á luz um filho que nos sai pela passarinha prima (e até hoje não entendo tamanha capacidade feminina e os meus PP´s nasceram de parto normal) e ainda que tivessem nascido de cesariana eu também me consideraria mãe coragem. Parir nem é, sequer o mais doloroso de ser mãe.

Todas abdicamos e morremos um pouco para nós mesmas a partir do momento em que se tem um filho, pois  tudo muda ( mudam as rotinas, mudam as prioridades, muda a mãe, muda o pai, muda o sexo (quiçá pra melhor...após a escassez inicial de quando nasce o rebento) muda a paciência, muda o estado emocional, muda a capacidade de aturar pitafes alheios)

Todas, todinhas damos o cu e oito tostões por um banho relaxante, por uma refeição quentinha, por um cafézinho no café que fica já ao virar da esquina.

Todas nos cagamos borramos de medo quando não conseguimos acalmar os putos, todas choramos na primeira vacina, todas ficamos doidas e dementes de cansaço.

Todas desejamos pelo menos uma vez, que os putos comecem a comer porque já não os aguentamos pendurados das mamas e... credo como às vezes demoram a mamar . Só o marido se delicia  com o tamanho das mamas enquanto amamentamos.

Todas sentimos a falta de tempo até para cagar  ir ao wc sózinhas, sem o choro que vem da sala. Todas desesperamos, todas achamos que devemos marcar consulta de psiquiatria, todas achamos que não vamos dar conta do recado.

Todas temos imenso trabalho e toda a gente pensa que temos tempo para sentar no sofá a coçar a passarinha prima, mais ou menos assim:

Então, se somos todas mulheres, se todas parimos e sentimos dor, se todas choramos, panicamos, desesperamos e enlouquecemos com a maternidade e se todas achamos que depois do parto ficamos com a passarinha prima meio bamba...

Porque raio chamam mãe coragem à rapariga só porque deu uma queca com o homem errado???????  Foda-se

Não choquei ninguém, certo?