Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a mãe dos PP's

Quando isto bate no peito...

Sempre achei que o mais importante são as relações que estabelecemos com as pessoas. Que importa pois, e muito aquele telefonema, aquele café rápido, aquele aperto no braço que descreve a preocupação sentida por alguém.

Que há que fazer o momento valer a pena.

Com o passar do tempo esta ideia que eu tinha parece reforçada, mas com um senão: Nem todas as pessoas sabem doar-se e aquelas de quem mais espero, talvez, possam ser aquelas que mais me irão falhar e ainda assim eu vou sentir a falta e preocupar-me com elas se motivo houver.

No entanto, não me sinto vítima destas ausências. Eu é que sempre fui de gostar fácil e de apego rápido, não aquele apego de cola, não. Daquele que me faz falta saber se fulano ou beltrana estão bem.

Eu nunca alimentei ódios. Eu sempre soube separar as águas e só desgostar ou afastar me se para isso houvesse motivo.

Eu nunca fui de emprenhar pelos ouvidos (na verdade das duas vezes que isso aconteceu, foi pelo sítio certo, acreditem !), mas dói me perceber que por vezes as pessoas se alimentam de pequenos ricocós que as fazem afastar se de quem as ama. 

E o amor, é o que nos impulsiona a vida, certo? Ninguém é feliz sózinho, pois não? É que de repente, vejo muitos casulos com arame farpado em volta.

E eu não sou de desistir de quem gosto e já me tenho picado muitas vezes. E dói... e faz sangue...

 

( isto hoje está uma pieguice de merda, não está?)

Foda-se

A propósito

dos seguintes post`s deCasal irrequieto e P.A lembrei-me do seguinte:

 

Cá vai:

 

Na frase:" Amor, mete duas bananas, dois iogurtes e um pacote de bolachas na lancheira"- onde está a dificuldade de entendimento?

O pai dos PP´s responde:

" meto duas bananas das mais pequenas ou das maiores? Meto iogurtes mimosa ou iogulinos? Bolachas de quais?"

 

Na frase:" Leva o P maior á casa de banho e pede que lave as mãos, certifica-te que lava bem a boca, porque andou a brincar com um morango"- onde está a dificuldade de entendimento?

O pai dos PP´s responde:

" Que mal tem um morango(que nem sequer foi lavado) para ter que lavar a boca?"

 

Na pergunta: "Mudas a fralda do P menor, que agora estou ocupada?" -Onde está a dificuldade de entendimento?

O pai dos PP´s responde:

"achas mesmo que tem de ser mudado? Tens a certeza,certezinha que tem cocó?" Não podes mesmo ser tu a mudar? Eu não me importo mas..."

E durante a muda da fralda: " Que creme meto no rabo do P? O Halibut ou A-derma?"

 

Na pergunta: Podes arranjar uma pêra para o P menor comer?-Onde está a dificuldade de entendimento?

O pai dos PP´s responde:

" E devo esmigalhar com o garfo ou passo no ralador?"

 

Diz-se por aí que as mulheres são complicadas... será?

A mãe dos PP´s responde: Não me parece 

 

 

 

O sexo por fases

Primeira fase: a ilusão

A rapariga encontra o rapaz da vida dela, apaixonam-se, começam a namorar. Há um rol de amassos, de beijos que por si só de tanta intensidade faz o coração disparar. A vontade de abraçar e de descobrir o outro é tanta tanta tanta, que o banco de trás do carro é uma perfeita suite com vista para o mar e o acto em si foi tão romântico que faz lembrar a cena em que Leonardo Dicaprio () estampa a sua mão na carruagem do titanic.

O casalinho planeia ter filhos, casar, fazer amor até mais não.

Casamento consumado. Sexo semi condenado

 

Segunda fase: a ida a Marte 

O casal vive ainda sózinho, sem filhos. O sexo é a toda a hora, do bom e do melhor. Duas, três vezes por noite.

Ainda ele mal tem chegado a casa e ela vai esperá-lo à porta, tira-lhe a gravata e já com tudo o que é orgão vital aos pulinhos e pulões, pimba! Amor gostoso, amor do bom. Foram até Marte e deixaram-se por lá ficar umas horas.

Podiam viver assim para sempre, pensam!

 

Terceira fase. O sexo por trimestre.

Ela engravida.

Primeiro trimestre: enjoa a comida, enjoa o marido, enjoa a cunhada, enjoa a sogra e enjoa o sexo.

Segundo trimestre: a barriga incomoda, ele não sabe como lhe há de pegar, é um comer para não morrer de fome!

Terceiro trimestre: passagem pelo deserto. Têm medo de tocar com o coisito no bebé. É melhor nem tentar.

Desceram aos confins do mundo! Pobre casal.

 

Quarta fase: avista-se o apocalipse

Bebé chorão, as mamas doem, só o gajo é que dorme. Ela começa a odiar a ideia de que ele queira alguma coisa, porque está sem maré. Sente o cheiro a xixi e a leite azedo na roupa, sente-se um farrapo. Se ele quiser tango ela corta-lhe a salsischa e cura o mal pela raíz.

 

Quinta fase: a esperança existe!

O bebé já não mama, os orgãos já pulam de satisfação quando se encontram. Mas está longe de ser perfeito: iniciam a coisa, o bebé acorda. Embanam o rebento e conseguem que adormeça ao fim de duas horas. Perderam a tesão vontade. Mas tentam de novo. Fodasse o que foi agora? O colchão é velho, despacha a coisa antes que...antes que... olha, esquece lá isso o gaiato acordou outra vez. Nem qualidade,nem quantidade 

 

Sexta fase: o sexo não é tudo

E pelo andar da carruagem não é nada. Dão escapadinhas. Fogem para o sofá da sala e conseguem consumir o acto, não sem antes pisar um lego e sentarem-se em cima de uma guitarra com a banda sonora do panda que teima tocar enquanto fazem amor. Pelo menos conseguiram e tiraram a barriga de miséria.... água mole em pedra dura... e o amor é lindo! 

 

( algo semelhante com esta reaidade é pura coincidência)

Que 2017 seja um ano fixe

Estamos quase a entrar em 2017 e todos (as) temos as nossas ambições e os nossos sonhos.

E o que eu peço a Deus ( sou uma pessoinha de fé  ) é saúde, força para contornar e resolver as dificuldades, amor e paz no coração. Que eu me consiga doar mais, abraçar mais e beijar mais. Confesso que o dia a dia, às vezes me absorve e tenho medo de esquecer de dar atenção, de dar amor. E a possibilidade de passar pela vida sem nela deter quem amo, assusta-me.

Como diz o outro senhor do bigode,  trago em mim muitos sonhos, muitos desejos para realizar. O meu marido costuma dizer que eu sou muito emocional, mas acho que sempre fui assim.

Desejo a todos vocês que entraram este ano na minha vida um 2017 cheio de coisinhas boas, com tudo aquilo que vos faz falta para a vossa felicidade. Que nada nem ninguém vos tire o brilho dos olhos, que ninguém vos detenha de realizar vossos sonhos.

E agora que já escrevi a parte piegas da cena e sei que toda a gente vos deseja saúde, paz e amor... Só para eu ser diferente desejo-vos sexo do bom e que amanhã não se esqueçam de forrar os pipis e as pilocas de azul 

 

 

O pai dos PP´s

Disse-me ontem, que eu tenho a gentileza de o tirar do sério em menos de 30 segundos ( tendo em conta que basta um voltar de costas a algo que não quero responder .)

Diz que eu tenho uma maneira de ser diferente e que até me acha graça (ainda bem, tendo em conta que é meu marido )

Disse-me que encho o cu rabo de mimo aos PP´s e que às vezes sente a minha falta (olha que bom, tendo em conta que ele é o meu homem e eu a sua mulher e assim até me sinto importante )

Disse que tenho maus "timings" para os amassos ( normalmente, vou-me a ele depois de o irritar bem irritadinho )

Felizmente, reconhece o quanto diferente somos, mas que o melhor que fez foi casar comigo (mas eu disso nunca duvidei  )

Ora digam lá que a relação não promete?? 

epá... isto hoje até dá para verter uma lágrima, não??  

 

A vocês

Hoje quero agradecer a presença e a amizade que já fiz aqui por estas andanças enquanto pseudo-blogger 

Quero desejar um Feliz Natal a todos (as) que me seguem, ou que me leêm, ou que vêm aqui parar de alguma maneira. 

A todos (as) vocês que de mim arrancam gargalhadas, me fazem pensar ou reflectir, desejo um 2017 cheio de sonhos realizados e...

 fodasse, chega de mariquices vamos deixar-nos de lamechices e bora lá ser felizes .

Vocês não sei, mas já mandei o velho pai Natal à merdinha para a reforma e agora tenho este:

 

 

Não estavam à espera que saísse alguma coisa de jeito aqui da "je", pois não??   

Beijinhos e Feliz Natal