Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a mãe dos PP's

Sentimentos

Aprendi na vida a não reprimir sentimentos.

Sei que sou de extremos, que ou gosto muito ou não gosto. É uma fragilidade minha. Lembro que, conheci o meu marido e a pouco e pouco, por meias palavras lá lhe fui arrastando a asa. Não é fácil, ser um livro aberto, quando do outro lado de lá, o livro está fechado. Connosco a coisa deu-se  .

E hoje pensei escrever sobre isto, porque muitas vezes sinto que as pessoas andam encolhidas, abafam os próprios sentimentos e ficam a sofrer em silêncio. Há algum tempo disse a alguém que eu estaria aqui sempre que precisasse e nunca tive resposta a isso. O que às vezes me deixa confusa. No entanto, eu acredito que quem dá nunca perde e que quem não consegue receber, é quem perde... Não julgo, talvez ser assim deixe os outros desarmados.E ainda que arranje como muleta, o facto de fazer tudo, sem exigir nada em troca, há silêncios que me doem, que me magoam.

Mas ainda assim, quando e sempre que for preciso... eu vou estar aqui.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub