Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a mãe dos PP's

A doutora mãe

Bom dia.

Daqui se pronuncia a doutora mãe.

A doutora mãe desconfiou que o P maior tinha otite no ouvido direito, por estar demasiado febril e queixoso do mesmo.

A doutora mãe disse ao marido: " explica lá ao médico que atender o chavalo que lhe dói o ouvido direito".

O chavalo foi atendido por uma doutora que não a doutora mãe que concluiu: " tem otite mas no ouvido esquerdo"

Aqui a doutora mãe estranhou e encolheu os ombros. No entanto, a doutora mãe viu sair alguma cera e pus do ouvido direito e não do esquerdo.

O marido da doutora mãe diz que não tem mal porque " sabe lá o antibiótico qual o ouvido que cura".

A doutora mãe acha que a doutora que atendeu o filho é sapateira.

Mas a doutora mãe tem um mau feitio do caraças e uma língua que dá a volta ao mundo.

Ele há gente muito parvinha, assim como a doutora mãe.

Peidotes

O peido que aquela senhora deu, não foi ela,fui eu! Não fui, mas poderia ter sido.

Entrei numa casa de banho pública e ouvi peidos, muitos peidos. Que tem de especial? Nada. Mas há que ache que tenha e como estou solidária...

Ahah sou tão xoné! 😒

Sempre que alguém vai

Ás vezes leio por aqui que há blogs que fecham, outros que desaparecem e também há aqueles que o fazem mas que se despedem.

Sou novata nestas andanças por cá mas sei que isto se aplica bem na vida para além da tela.

O meu calcanhar de aquiles é ver pessoas partir, quer seja para outra terra, para outro empego, porque simplesmente nem nota a falta que faz em nossas vidas e de um dia para o outro vai embora. Também há aquelas despedidas que nunca o foram porque simplesmente tentámos agarrá-las e elas fugiram por entre os dedos. Sejamos sinceros, quando alguém não quer estar, é melhor deixar partir. Sejamos também justos para connosco, ninguém tem que mendigar a amizade ou o amor de ninguém. Que quando eu dê seja espontâneo e sincero e que quando alguém me der seja honesto também.

Nunca gostei de dizer adeus e a despedida mata-me por dentro que eu sei lá. Chego a sentir saudades de pessoas que me estão próximas, mas que nem calculam o valor que têm para mim.

Estou numa fase da vida que, quando tenho que mandar alguém bardamerda mando, mas quando tenho que dar aquele abraço dou e não tenho medo do suposto "ridiculo". Na verdade, quero que o ridiculo se foda. Já ganhei anos de vida perdida num abraço e perdi outros tantos numa despedida forçada. Nestas andanças ganhei calo e maturidade. 

Confesso que sou uma pessoa de extremos, quando gosto não deixo estar em banho maria e que quando alguém me magoa me afasto de vez. O meu marido pergunta-me imensas vezes onde está o meu meio termo. Não o tenho. Acho que vivo de sentimentos arrebatadores. Tem vantagens e desvantagens e já consigo contornar os danos colossais de uma ida ao tapete. Há dias, como todos nós que vou ao tapete, mas quando me levanto volto á luta, porque apesar da dor que me faz cair, é bom que faça doer, porque um dia que a partida seja definitiva eu saberei que vivi, amei e desfrutei de quem amo por inteiro.

 

Isto hoje está uma pieguice que dá dó, mas quero enviar-vos o meu abraço e dizer-vos que gostaria muito que todos(as) ficassem aqui, pelo bairro.

 

Que música te faz ficar no carro? Responde a Catarina

Bom dia gente linda!!!!!!!!! 

Hoje a minha convidada tem, não um,não dois,não três mas.........tchanam tchanam: 4reizinhos  a quem dedica o blog e que nos faz rir com as peripécias dos seus filhotes.

 

Bora lá 

 

Antes de mais quero agradecer à excelentíssima mamã dos PP´S por me ter convidado para esta rubrica magnifica. Fiquei muito contente por poder vir aqui largar bitaites mas a verdade é que responder à questão não foi assim tão simples.

(Coisa maiiiis linda)  

Primeiro porque existem dois tipos de musicas que passam no rádio do meu automóvel. Existe aquela bela musica infantil que passa uma e outra vez. Repete e repete como se se tratasse de um disco riscado e só nos apetece cortar os pulsos. Felizmente  para mim este tipo de musica passa durante cerca de dez minutos diários e é por esse motivo que ainda estou viva. Contudo não pensem que isso me impede de as saber de cor e de estas ficarem o dia todo a tocar na minha cabeça como musica de fundo…

(É um martírio ) 

Depois existe a musica do rádio que coloca a tocar depois de largar os miúdos. Esta serve para tentar fazer desaparecer a outra da minha cabeça e para me animar o dia. A viagem de carro para o trabalho e para casa são as únicas alturas do dia em que estou sozinha e posso relaxar. Costumo chamar-me o meu momento zen curiosamente é também o meu momento de brainstorming o que faz com que muitas vezes nem oiça o que está a tocar no rádio.  Provavelmente não estão a perceber nada mas a culpa é da anfitriã que convida gente doida e nos dá liberdade para poder vir para aqui divagar.

(Sou tão cool) 

Tentando voltar ao cerno da questão. Qual é a musica que me faz dar mais uma volta de carro? É difícil escolher uma porque existem várias que adoro. Contudo tive que seleccionar uma, depois de grande esforço consegui escolher uma. Espero que gostem desta musica escolhida por uma romântica incurável.

 

 

Depois desta balada tenho uma pergunta: Para quando o reizinho nrº 5? 

 

 Gostaram do tema?

Estimada ventania

tentei ser fofinha e dar te alguma utilidade, mas foste ingrata e rebelde levando as cuecas do marido e as meias dos miúdos pelos ares. Fizeste com que saísse de casa a mil á hora e fui apanhar a roupa na rotunda que fica perto do prédio. Foste deveras inconveniente e por tua causa ouvi buzinadelas e levei com olhares reprovadores.

Amuei e odiei-te. Não obstante a tudo isto quando saí á rua, viraste-me o cabelo do avesso e senti-me uma daquelas bonecas dos trolls. E eu odeio trolls. Como posso lidar com tamanha ingratidão? Por tua causa os miúdos andam entupidos e meio ranhosos, gozam comigo por ser magra e dizem que vou pelos ares. Compararam-me a um balão da zippy.

Enfiei o meu caçula no carro e ouvi um espirro, olhei para ele e vi "nhanha" no encosto do banco e tu sabes que o meu marido é sensível e enjoa com pouco. Como pudeste?! Achei que a tua presença seria útil para enxugar a roupa e tu... e tu quase que a rompeste.

Hoje fazes-te notar mas de um modo mais discreto. Por favor vai e não voltes. Raios te partam, afinal para que serves tu?

O P maior chegou á escola e quando olhei para ele parecia o Vegeta do Dragon Ball...

Depois de toda a maldade que me fizeste vai de vez e não me procures mais. Não olhes para trás, não te darei outra oportunidade!

 

Uma alarvidade por dia

nem sabe o bem que lhe fazia...

 

A mãe recebeu chocolatinhos do marido porque dias antes ao dia da mulher disse em tom de brincadeira que comer um after eight é meio caminho andado para um orgasmo...

                                                             

 

       Vejam só :

 

IMG_20170310_141749.jpg