Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a mãe dos PP's

bugigangas televisivas

Estando em casa a tratar do P menor, tenho o hábito de ter sempre uma televisão ligada. Para mal dos meus pecados, a publicidade da parte da manhã é muito destinada às velhinhas amorosas que estão em casa. Então dou por mim a reparar em coisas que acho que ninguém mais repara! É uma manhã cheia de reumons, stanahahs e outras tretas parvoíces que me fazem questionar a sua eficácia. Toda a gente vive melhor e até consegue correr com a Mila Ferreira e na melhor das hipóteses apanhamos a Simone de Oliveira a tomar calcitrin. Mais de metade de Portugal toma crómio, "mode" a diabetes e a garganeirice... a sério? 

 

Olhem mas é o efeito que essas coisinhas provocam... e que deixaram a senhora malade ( vale a pena ver até ao fim o sofrimento da senhora)

 

 

O Trump não é louco

loucas são as pessoas que votaram nele! Pergunto-me até que ponto a estupidez humana vai comandar o mundo sem noção de que este é formado por pessoas normais. 

O Trump não é louco!

Loucos são os que lhe deram asos ao poleiro! Mas que porra é esta de notícia?! Que veracidade inconformada, que apocalipse antecipado é este do fim do mundo?! Devo congratular o povo que nele votou, que pôs no comando deste mundo, ai perdão, deste planeta, um tijolo com cabelo? Mais um holocausto???

O Trump não é louco!

O mundo é louco e perceber que mulheres nele votaram, até a mim me deixam louca! Estou a dramatizar? Não me parece! É que tenho dois filhos e temo pelo futuro deles!

O Trump não é louco! É vazio, é duro, é pedra, é aresta por polir, é massa em bruto! Mas loucas estão as pessoinhas dos Estados Unidos, que a partir de hoje vão ter o bom e o bonito! E sinceramente, cada um deita-se na cama que faz e nada disto me inquietava se não nos influenciasse a todos. Com os problemas do povo dos Estados Unidos, estou eu bem! Só não estou bem com os danos colaterais que nós portugueses possamos sofrer. 

O Trump não é louco! Ele sempre se revelou, verdade nua e crua, deu-se a conhecer ao mundo assim: burro e estúpido! Mas o estúpido desta vez não foi ele! Querem adivinhar que foi? Pois é... ele até pode ser louco, mas não está sózinho nesta loucura! Tem apoiantes, imaginem! O Trump é mau, não tem caracter, e agora colocaram uma mina na Casa Branca! 

Loucos são os que tomaram liberdade de votar nele! 

Que burrice, que inconsequentes, que estupidez!

32 anos

Pois é, hoje faço 32 anos! 

E não é que o espelho fez questão de me mostrar os dois cabelos brancos que tenho por estimação, logo ao acordar?

Não faz mal, somar anos é bom, criar estofo para as coisas da vida, é bom. Os meus filhos estão bem, isso é bom. Se eu pudesse escolher um presente de aniversário, sairia para abraçar as pessoas que me são importantes e começava por aquelas que são importantes e não sabem que o são, para as surpreender! 

Já falei aqui, o quanto dou importancia às pessoas que de alguma maneira me marcam ou marcaram. E acho que desde sempre fui assim: piegas! Crio laços facilmente, mas esta merda de feitio maneira de ser às vezes dá cabo de mim, destrói me, quando me decepciono. No entanto, hoje quero partilhar convosco este post, porque também vocês já fazem parte do meu dia a dia, já estão presentes!

Então obrigado também a vocês por estarem desse lado a aturarem as minhas coisas! Sejam felizes sempre, mas hoje principalmente, ofereçam-me esse presente, tenham um bom dia, sejam felizes, muito, sempre!  

E borá lá ser feliz que hoje aqui a rapariga faz 32 anos fod*se

32 anos.png

 

 

Os primeiros beijos do P

Sábado passado, o P maior teve uma festa de anos. Estava lá a coleguinha que ele tanto gosta que de imediato lhe deu a mão e foram para a piscina de bolas. Tudo normal.

Normal pois, a não ser quando de repente vejo a coleguinha a dar-lhe muitos beijos, uns na cara e outros nos lábios! Seguiram-se uns amassos à moda infantil que é como quem diz que ela faz dele um frangalho, aperta-o, esmaga-o, puxa-o, beija-o, etc e tal. A coleguinha que até é um ano mais velha e toda espevitada ria-se para mim, sabendo pois que sou a mãe do P. 

Curioso, que eu gosto da miúda, acho que lhe faz bem e que o protege, mas uma destas ( xoxos pra cá e pra lá ) é que eu não esperava.

Acordei agora ou estou a ficar velha??

 

P.gif

 

Permitam-me o desabafo

Parece que a popota chegou e vem mais parva linda neste Natal. Ora bem, não querendo parecer antiquada, mas sendo do tempo em que eu sabia que o Natal estava próximo com a chegada Leopoldina, custa-me a engolir aquela coisa cor de rosa com pernas.

Alguém que me console se conseguir e me explique a relação da hipopotama com o Natal, porque eu não entendo. Para além de eu achar o naco com olhos ridiculo, com ou sem brilhantes, solteira ou casada ( parece que já tem filhos), desilude-me aquele anúncio televisivo. Acho parolo deprimente, sem contexto, sem magia para a época. 

Digam-me que não sou a única.

 

Foi dito e sublinhado

Alguém me explique onde me perdi, porque...

 

Ontem, durante o jantar comento que os anúncios de Natal já se fazem notar na televisão e o P maior grita em alto e bom som:

- " Não vem Natal, não há Natal, o pai Natal não existe, não existe, não existe, não há pai Natal nem gosto dele"!

Eu juro que não sei como descobriu, mas depois disto, vender-lhe a história de que os bebés são trazidos pela cegonha, está fora de questão. Ainda me arrisco a que ele me explique tudo com todos os detalhes e eu tenha que ir à rua apanhar ar.

 

opainatalnaoexiste..gif

 

 

Varizes

Depois de ter os meus dois filhos reparei que na parte atrás do joelho tinha umas veias mais salientes que o suposto. Como a minha mãe vai ser operada às varizes e, por norma, as varizes podem ter uma origem genética, pensei ir a um especialista para observar as ditas cujas. Tinha sempre em mente que pouco engordei durante as duas vezes que estive grávida, mas que fiz uma barriga muito grande, logo a minha justificação para tal, passava pelo peso que carreguei no ventre. Enfim, fui ontem a consulta muito borradinha de medo, pois pensei logo que me mandavam para o bloco operatório.

Quando fico nervosa, a tendencia a dizer disparates e para falar rápido aumenta e como sou alentejana, parece que em vez de falar... canto.

Ora, o médico tirou-me logo a pinta e tratou de me pôr à vontade ( não sei como,  se tinha que me despir ).

Observou, sorriu e disse-me: " Você não tem varizes, isso são derrames e o único desconforto que poderá ter, é estético!"

Senti que me saiu o totoloto! Pirei-me do consultório mais depressa do que tinha entrado, e fui para casa, satisfeita da vida.

medico.jpg

 

Farol

Às vezes sinto que determinadas coisas me escapam das mãos. Tal como a sensação de agarrar um monte de areia que se vai escapando por entre os dedos.

Sei que a felicidade não cai do céu e nem sequer é uma constante. Todos caímos, todos choramos. E ainda bem, é sinal de que somos humanos.

Sempre lutei para ser pilar, abraço amigo, colo de conforto para os que me rodeiam. Mas às vezes as divirgências conseguem levar adiante o que não era suposto: a desilusão e medo. Às vezes luto para que tudo resulte, outras vezes o cansaço apodera-se de mim e atiro a toalha ao chão. É que isto da harmonia, tem que se lhe diga. 

Sempre quis ser farol dos que me rodeiam, sempre quis estar presente e ser porto de abrigo, mas acho que estou num momento em que também eu preciso de um farol que me guie e me leve a bom porto.

IMG_20161030_174944.jpg